7 de junho de 2011


Um barco inclina-se para o silencio

onde uma mulher sentada

espera dentro do poema as minhas mãos

assim seja a casa de que fugia o coração

2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

ternura escondida.

belo poema!

Lilazdavioleta disse...

Belíssimo poema .