24 de fevereiro de 2012

Através das Palavras uma Flor Inútil – Um Relâmpago



Ao Bernardo Ribeiro Costa
11/09/1970 – 21/2/2012


Os dias acabaram

ainda a Primavera se aproximava

tímida mas já as suas flores negras

ameaçavam a matéria tão frágil de que somos feitos

terminava assim o sofrimento debaixo das altas copas do tempo

onde tudo é menos frio que o frio de estar vivo

quanto pesa a dor dos dias sem cor?

uma infinita milésima de grama

capaz de sufocar

e para que servem todas essas flores

que assinalam a negação de tudo o que pudesse ser?

a boca sedenta de esquecimento

aniquila todas as dimensões das coisas

para que o que exista caia

se parta se veja

se evapore

e depois desapareça para sempre

e porquê ?

e para quê estar aqui?

esperando um acidente que viesse misericordioso libertar a carne da sombra

mas ele não veio

e tudo ficou nas mãos dormentes do homem

afundado na penumbra da ultima madrugada

e se a morte não fosse um veneno que pudesse gritar teu nome

e se ela não fosse tão magnética

e se ela não te telefonasse dizendo que te amava

se não te beijasse completamente nessa noite extrema

o que sobraria de ti

horror do mistério

ultimo estertor

até que a vida se partisse contra o céu num soberbo mergulho

o corpo laminado pela angústia

o corpo sem pele….

o corpo rasgado pela noite….

ó mãe ajuda o teu filho

não o deixes adormecer

não deixes que o seu sangue acabe antes do teu sangue

ó mãe não deixes porque a tua dor será infinitamente maior

e servirá apenas

para adoçar a fétida pestilência da morte

que dá á terra este rosto com os olhos abertos para dentro

desce com ele o sonho já sem nenhuma ansiedade

nessas mãos ausentes que acolhem

a treva que passa e liberta da sepultura

de um corpo morto a alma pura.


4 comentários:

. intemporal . disse...

.

.

. também sou de 1970 . pelo que . absorvo a dimensão .

.

. os meus sentimentos .

.

. um abraço . sentido .

.

.

Parole disse...

Suas palavras são lindas e ele muito jovem para morrer...

Meus sentimentos e um abraço.

heretico disse...

abraço solidário...

© Piedade Araújo Sol disse...

homenagem sentida.

abraço solidário.