10 de abril de 2012

Nuvens

Rainy Night in Soho - Pogues



Lá fora chovem letras

  a água dá forma ao poema

para além de qualquer ortografia

escreve sem erro

maiusculamente

na pele da cidade

no coração do mar

na vida que nos calhou

a chuva

não tem mais ambições que eu

cair

e ser outra vez das nuvens

9 comentários:

Eva Gonçalves disse...

Cair e ser outra vez das núvens, é a ambição de muitos... :)

Ana disse...

Muito bom. Cada vez melhor!

Mar Arável disse...

Não há morte nem princípio

tudo se transforma

© Piedade Araújo Sol disse...

que dizer deste poema?!

apenas que é belo demais.

apenas e só isso!

um bom final de semana!

beij

Isa Lisboa disse...

Há poesia em todo o lado! ;)

. intemporal . disse...

.

.

. ser outra vez das palavras que des.condensam o grito .

.

. um abraço .

.

.

Lídia Borges disse...

Todos nós temos um pouco de Ulisses: viajantes com o retorno na bagagem.

L.B.

heretico disse...

águas de Abril. belas e fecundas...

abraço

heretico disse...

na água primordial - poesia pura. como chuva cristalina...

abraço