13 de outubro de 2011

Transfiguração

Man Ray


Corríamos para a água

atirávamos para lá os corpos

para dela receberem a luminosa transparência

assim

se derramava o destino

sobre os corações e as ondas

assomavam-se agora a tempo

de na praia

desenharem as nuvens

a nossos pés.

2 comentários:

heretico disse...

corações e ondas no mesmo ritmo.
de um tempo de todos os assomos...

... e todos os assombros!

belíssimo.

abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

memórias que ficam.

curto e tão completo.

gostei!

beij