18 de fevereiro de 2011

Aqueles Cujo Coração


foto: Josef Koudelka 


Aqueles cujo coração abre e fecha

Como as flores ao toque da chuva

Poderiam ser do céu um pormenor de nuvem

Ou a sua arritmia


O vento é a transparência completa do corpo


3 comentários:

Graça Pires disse...

Ser do céu um pormenor de nuvem...
Que beleza! Gostei imenso do poema.
Um beijo.

maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lilazdavioleta disse...

Todos nós temos as nossas arritmias e desejamos , mesmo que veladamente , por momentos de nudez .